Turismo Consciente na
Costa da Mata Atlântica
(Baixada Santista)
BLOG CAIÇARA

Tradutor:

sexta-feira, 31 de janeiro de 2020

História e Fotos Antigas Cubatão SP: ANILINAS (Fábrica Química de Anilinas)

Muitos desconhecem que onde está atualmente o Parque Municipal Anilinas, era o local das instalações da antiga Química, nome vulgar de uma Fábrica de Produtos Químicos e Corantes. Construída em 1915 e começando a funcionar em 1916, teve como fundador J.B. Duarte, com o nome específico de Fábrica de Anilinas e Produtos Químicos do Brasil. Em 1941, porém, passa a chamar-se Companhia de Anilinas, Produtos Químicos e Material Técnico. Entra em falência em 1965.


Na década de 20 fabricava tanino, um produto usado para couro, extraído das folhas do mangue próximo da fábrica e transportado em balaios e canoas. Os homens que trabalhavam nesses serviços eram chamados de mangueiros. Ainda nessa época, fabricava alguns corantes.

Durante a administração dos alemães, a fábrica foi ampliada e começa a produzir: amarelo-cromo, preto enxofre, bicarbonato de sódio, bicarbonato de amônio, solução de amônia etc. Diversas qualidades de sabão para uso industrial e doméstico também eram fabricadas pela Anilinas. Os tipos de sabão eram: brasilian em barras, Lanopol L., Lanopol M., Maciol, sabão em pó e outros. Vejam que o sabão em pó era uma fabricação daquela época.

Outros produtos de fabricação: filme de leite, um produto próprio para couro, incolor, branco leitoso e colorido; anilinas para lã, algodão, seda, tecidos sintéticos; anilinas para papel e para couro; óleo sulforicinado, alumem de potássio, hipossulfito de sódio, bissulfito de sódio, bórax-xiliol C.S.N., formol, dissolvente, ácido fórmico. Produzia também explosivos, que eram controlados pelo Exército Brasileiro e retirados pelo mesmo. Esse produto era mantido em um depósito afastado da fábrica e sob rígida guarda.

Todos os depósitos da fábrica eram feitos bem altos, para evitar água das enchentes, naquele tempo bem constantes. Havia o agravante de que uma das divisas era o Rio Capivari, bem mais profundo e largo que atualmente, pois ainda não tinha sido canalizado. As águas do Rio Capivari eram aproveitadas pela fábrica, num sistema de bombeamento para resfriar as serpentinas do gás carbônico. Essa água tinha retorno com reaproveitamento, mas não para abastecimento das residências da época, pois não era potável.

Nos terrenos da Companhia Anilinas havia um sítio com exploração de bananas, laranja, limão e outras frutas e um belo eucaliptal, onde hoje se localiza o Jardim São Francisco. O limão era apanhado em grande quantidade e com seu suco faziam xarope, que era fornecido gratuitamente aos moradores. Outro fato pitoresco é que, no local, tinha criação de gado vacum, sendo que o leite era vendido aos empregados da fábrica e moradores da região, pela manhã e à tarde.Um lindo jardim era cuidado na Fábrica Anilinas, pelo jardineiro alemão Sr. Schmidt.

Além dos setores normais da fábrica, a Cia. Anilinas desenvolvia os serviços de tornearia, carpintaria, serraria, onde preparavam as embalagens para as mercadorias e faziam a manutenção de toda a empresa. O serviço de manutenção atingia ainda a área de peças de reposição de máquinas da fábrica.

..:: O convívio social
No tempo dos alemães, tanto os empregados, quanto os moradores tinham que manter entre si muito respeito, cortesia e educação e não era permitido que das 22 às 6 horas fossem incomodados os vizinhos com barulho. Era filosofia da fábrica que o empregado devia ter um bom descanso, para ter um bom trabalho no dia seguinte. Para melhor segurança dos moradores, todos que chegassem à portaria da fábrica, eram obrigados a fazer sua identificação. Isso deixava todos descansados, sem receio de serem molestados por estranhos.


Como gratificação de fim de ano, os empregados recebiam uma importância em dinheiro, sem haver, no entanto, uma obrigação legal para isso... Era uma forma de agradecer o trabalho desenvolvido durante o ano. Foi talvez a firma pioneira no Brasil a dar gratificação de natal, e durante as festividades de fim de ano, hasteavam a Bandeira e cantavam o Hino Nacional".

Texto de Edistio Dias Rebouças Filho, autor do Hino de Cubatão e apresenta bem a história da empresa. Edistio usava o pseudônimo de Numismata, via Welington Borges‎ / Cubatão - Seus Caminhos e sua História

Foto Antiga Cubatão Parque Anilinas pouco após sua inauguração em 1979.


Para Roteiros Históricos e Culturais de Cubatão e Região


Nenhum comentário:

Postar um comentário

A Caiçara Expedições agradece sua participação!
obs: Os comentários são moderados.

Mantenha contato! Muita Luz ...

Blog Caiçara é Vencedor do Prêmio Top Blog

Blog Caiçara é Vencedor do Prêmio Top Blog
BLOG CAIÇARA é o VENCEDOR do PRÊMIO TOP BLOG (2013/2014). Categoria: VIAGENS E TURISMO.