Turismo Consciente do Litoral de São Paulo = Blog Caiçara!.............Caiçara Expedições Agência de Viagens e Turismo...........Receptivo Baixada Santista - Litoral de São Paulo....Seja Bem Vindo!

..:: Pesquisa Blog Caiçara ::..

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Diferenças entre Simples Nacional, MEI, Lucro Presumido e Lucro Real

Ao abrir uma empresa os empreendedores devem estar cientes do enquadramento que está de acordo com o tamanho de seu negócio, tipo de atividade e expectativa de faturamento para enquadrar a empresa no regime tributário que melhor lhe atenderá, ou seja, pagará menos impostos.

Neste artigo iremos analisar de forma simples os 4 regimes existentes atualmente.


MEI – Microempreendedor Individual

O MEI é um regime tributário voltado para os profissionais autônomos que, optando por esse regime, serão beneficiados com um CNPJ, poderão emitir notas fiscais, conseguir empréstimos como empresa a juros mais baixos e acesso a benefícios do INSS, como auxílio doença, gravidez e aposentadoria por idade ou por tempo de contribuição com um recolhimento complementar de GPS.

Você poderá se enquadrar como MEI se sua expectativa de faturamento for de até R$ 60 mil por ano e não for sócio ou proprietário de outra empresa.

As taxas cobradas são mensais de R$ 45,00 (comércio ou indústria), R$ 49,00 (prestação de serviços) e R$ 50,00 (comércio e serviços). Os tributos são referentes ao ICMS e ISS e as quantias são atualizadas anualmente, de acordo com o ajuste do salário mínimo.

Usualmente os MEIs controlam seu faturamento baseado no valor de R$ 5.000,00 mensais para que não ultrapassem o valor do teto fixado anualmente, mas vale informar que este valor pode e irá oscilar de acordo com a necessidade do negócio e que o importante é que não se ultrapasse o teto no somatório dos meses de funcionamento da empresa.

O MEI pode ter apenas um funcionário.


Simples Nacional

O Simples Nacional é o regime tributário que compreende as Microempresas (ME) e Empresas de Pequeno Porte (EPP), simplificando o pagamento de tributos desses negócios. No Simples Nacional, as alíquotas variam de acordo com as atividades da empresa. Os percentuais de pagamento do imposto vão de 4,0% a 16,93% e, por este motivo, são fundamentais contar com um contador no processo de abertura da empresa para que os ajustes e enquadramentos possam ser feitos da maneira correta.

A Guia de pagamento do imposto é o DAS e nela estão incluídos os impostos PIS, Confins, CSLL, IRPJ, IPI, ICMS, ISS e a Contribuição Previdenciária e o recolhimento é sempre feito com prazo de até o dia 20 do mês seguinte emissão da nota fiscal.

O Limite de faturamento anual neste regime é R$ 3.600.000,00.


Lucro Presumido

Como o próprio nome já diz, neste regime de tributação o lucro será presumido através de margens de lucro especificadas pela legislação para amparar o cálculo dos impostos incidentes sobre a venda. As margens de lucro presumidas são 8% para atividades industriais e comércio e 32% para serviços, podendo haver exceções para algumas atividades econômicas. PIS e Cofins são calculados de forma cumulativa, com alíquotas aplicadas diretamente sobre o faturamento.

O recolhimento dos impostos acontecem trimestralmente (CSLL e IRPJ) e mensalmente (PIS, COFINS, ISS, ICMS e Contribuições Previdenciárias).

O teto de limite de faturamento é de R$48.000.000,00 e em vias de regra, sempre será indicado para as empresas com baixo gasto com folha de pagamento, pois os custos com recolhimento previdenciário de funcionários acaba sendo um grande diferencial comparado com o Simples Nacional.


Lucro Real

O Lucro Real é adotado por empresas que exercem atividades econômicas específicas ou por escolha do empreendedor. Aqui são pagos os mesmos impostos relatados no Lucro Presumido (PIS, Confins, CSLL, IRPJ, IPI, ICMS, ISS e a Contribuição Previdenciária), mas as regras mudam um pouco.

Ressaltamos que este regime possui regras mais difíceis de serem atendidas e um acompanhamento maior por parte do fisco, pois neste regime de tributação o pagamento de IRPJ e CSLL é feito com base no lucro real apurado podendo haver situações em que não haja pagamento de imposto.

O regime tributário de Lucro Real costuma ser vantajoso para as empresas que possuem altos custos operacionais, baixas margens de receita ou grandes despesas, como as indústrias.


Conclusão

Agora que você está ciente dos regimes praticados em nosso país, vale ressaltar que ao abrir uma empresa deve-se fazer uma análise minuciosa da legislação e um planejamento estratégico de acordo com as expectativas do negócio. Isso é essencial para o sucesso de sua empresa pois um erro cometido no início do processo irá impactar negativamente no futuro e dependendo do caso poderá acarretar em perdas financeiras e até o fechamento da empresa.

O Contador é fundamental neste momento inicial. Sua visão especializada irá garantir que tudo seja feito de forma clara e de acordo com a lei, evitando gastos desnecessário e, principalmente, o pagamento de tributos acima do necessário. Comece bem o seu negócio.

Fonte..:: Jornal Contábil . Matéria de 19 de agosto de 2017.


Legenda:
COFINS = Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social
CNPJ = Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica
CSLL = Contribuição Social Sobre o Lucro Líquido
DAS = Documento de Arrecadação do Simples
ICMS = Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços
INSS = Instituto Nacional do Seguro Social
IRPJ = Imposto de Renda de Pessoa Jurídica
IPI = Imposto sobre produtos Industrializados
ISS = Imposto Sobre Serviço de Qualquer Natureza
PIS = Programa de Integração Social



sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Na Argentina promovem concurso nacional para criar projetos de design urbanístico

Concurso urbanístico na capital Argentina procura promover o design e aproveitamento do orçamento do Governo da cidade para dinamizar o Parque da cidade como espaço público


Por meio do Concurso Nacional Vinculante de Anteproyectos se propõe reformar o Parque da Cidade, localizado na Comuna 8 da cidade de Buenos Aires (Argentina), por meio de um projeto que permita implementar uma mudança progressiva deste espaço público, com a finalidade de liberar seu uso e estabelecer uma influência em três escalas de alcance: Micro, Médio e Macro.
Estas escalas foram definidas para promover um projeto focado na área urbana (Distrito Villa Olímpica e Parque da Cidade), área urbana limítrofe (que inclui a Vila 20, Parque Indoamericano, Parque Olímpico, Projeto Autódromo) e a cidade de Buenos Aires em seu conjunto, assim como a área metropolitana.
Este concurso é organizado pela Sociedad Central de Arquitectos, em cooperação com Corporación Buenos Aires Sur S.E. e também conta com o apoio do Instituto Superior de Seguridad Pública.
O Governo da cidade conta com um orçamento especial para implementar o projeto ganhador do concurso. A entrega de trabalhos está programada até 05 de setembro através da plataforma digital, inscrição prévia através do e-mail: secretaria@socearq.org, indicando no assunto: “CONCURSO NACIONAL DE ANTEPROYECTOS, VINCULANTE – PARQUE DE LA CIUDAD”.
O concurso convoca os participantes a desenvolver um anteprojeto para o Parque da Cidade nos termos definidos nas bases.
Os prêmios estabelecidos são:
  • 1º Prêmio: $ 700.000 (setecentos mil pesos)
  • 2º Prêmio: $ 350.000 (trezentos e cinquenta mil pesos)
  • 3º Prêmio: $ 175.000 (cento e setenta e cinco mil pesos)
  • Menções Honrosas: a critério do Jurado.
Os alunos da área de Projetos, patrocinada pela FUNIBER, que considerem oportuno podem participar sempre e quando forem profissionais da Arquitetura e Licenciados em Planejamento e Design de Paisagem, assim como também deverão cumprir com as condições determinadas nas Bases do concurso, acima indicadas.

Fonte..:: Concurso Nacional Vinculante de Anteproyectos: Parque de la Ciudad / Argentina / FuniBlogs


Capacitação em Recepção para Terminal Marítimo

As empresas DC VIAGENS E EVENTOS e TÔ A FIM DE APRENDER estão em parceria e realizarão À CAPACITAÇÃO EM RECEPÇÃO PARA TERMINAL MARÍTIMO com o objetivo de preparar profissionais para atuarem na temporada 2017/2018  com excelência. 

A capacitação ocorrerá no dia 24/10/2017 das 14h às 18h, no ESPAÇO CERTO ( Av. Ana, Costa, 61 – Santos). A facilitadora será a professora : Kethyleine Alcântara coordenadora do check-in da Costa Cruzeiros e será entregue certificado.

CONTEÚDO:
  • Como encarar a entrevista?
  • Motivação - Aula com à Coach:  Thalyta Franco
  • Servir e encantar
  • Planejar o trabalho antes da operação
  • Trabalho em equipe – dinâmicas de grupo
  • Comunicação assertiva – trabalhando suas habilidades
  • Qualidades pessoais
  • Princípios básicos para um atendimento eficaz
  • Técnicas de atendimento
  • Vocabulário Técnico
  • Processo de check-in (organização de filas, senhas, materiais de trabalho, atendimento a costa club, atendimento a gestados, idosos e portadores de necessidades especiais e preferenciais.)
  • Documentação para embarque
  • Obrigações do passageiro
  • Bagagem
  • Conferência de documentos correta
  • Estudos de caso
  • Casos de empreendedorismo


Investimento..:: R$ 80,00 

Reservas:..:: kethy_alro@hotmail.com - 13- 981603461


segunda-feira, 4 de setembro de 2017

UNICON (RJ) é primeira universidade corporativa de concierges do Brasil; entenda

Mesmo após sediar grandes eventos como a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos, a excelência no atendimento no Brasil ainda tem muitos caminhos a serem trilhados. O Rio de Janeiro, mesmo sendo um dos lugares mais visitados do mundo, ainda carece de mão de obra qualificada. Foi pensando nesses fatores que a UNICON (Universidade Corporativa de Concierges) nasceu. A ideia surgiu de Rosane Lucas, concierge que atua há mais de 20 anos no mercado hoteleiro. “O que me motivou foi a minha vontade de mudar essa realidade, pois depois de tantos anos no mercado, minha experiência e atuação me fizeram ter ideias práticas que podem contribuir para virarmos esse jogo. Quero dividir tudo que aprendi e deixar um legado”, explica a profissional.  

A universidade promoverá capacitações relacionadas às atividades de concierge, no formato de pós-graduações e cursos de extensão, além de palestras com os melhores profissionais do setor hoteleiro no sistema presencial e online. Entre os componentes do corpo docente da UNICON está o professor Jorge Berrio, gerente geral do Hotel Hilton, em Guadalajara, no México.

Um dos destaques da pós–graduação, carro chefe da instituição, é o curso de Administração hoteleira, cuja proposta é preparar profissionais, levando conhecimentos fundamentas sobre gestão do mercado hoteleiro.

Máster concierge, Marketing turístico e Turismo sênior também fazem parte da grade de pós-graduação da universidade. A UNICON também oferece cursos de qualificação de concierge de luxo, concierge x hospitalidade, inglês para concierge, entre outros, todos chancelados pelo MEC.

“Possuímos o maior staff de professores concierges do Brasil. Nosso objetivo é atingir pessoas que já trabalham com turismo e hotelaria, além de acadêmicos e qualquer profissional interessado em ingressar nesta área tanto no Brasil como no exterior”, explica Rosane.

Além de reitora corporativa na UNICON, Rosane é chefe do concierge do hotel JW Marriott, no Rio de Janeiro, e presidente da Fundação Concierge Brasil. Formada em gestão de turismo, Rosane, em 2016 recebeu o Prêmio J. Willard Marriott de Excelência, mais alta honraria da rede hoteleira internacional. A premiação é concedida anualmente aos colaboradores que se destacam em setores como excelência no atendimento, envolvimento com projetos sociais, comprometimento, entre outros pré-requisitos. Rosane é a segunda mulher brasileira a receber a honraria. No grupo dos oito vencedores de 2016, escolhidos entre os colaboradores de quase 6 mil hotéis Marriott no mundo, a concierge foi a única representante da América Latina.

Fonte..:: hoteliernews


segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Imóveis cadastrados no Airbnb não pagam impostos e nem são fiscalizados

A associação defende que o serviço oferecido pelo Airbnb seja regulamentado no Brasil

A Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH Nacional) vai protocolar junto ao governo federal um pedido de paridade tributária com aplicativos de hospedagem pela internet. O principal alvo da medida é a plataforma digital Airbnb, que disponibilizam hospedagem por temporada a viajantes por meio do seu site e aplicativo.

O caso se assemelha ao de outros serviços tradicionais do mercado que passaram a ser oferecidos por meio de plataformas digitais. A polêmica já ocorreu, por exemplo, em diversas cidades do país, entre taxistas e motoristas que oferecem serviço de transporte por meio do aplicativo Uber.

A associação defende que o serviço oferecido pelo Airbnb seja regulamentado no Brasil. “É um problema muito sério porque eles estão fazendo uma concorrência muito acirrada e prejudicando a hotelaria, as empresas formais, porque não pagam impostos no Brasil”, defende o presidente da ABIH, Dilson Jatahy Fonseca Jr.

A plataforma, que funciona em 191 países, faz a ponte entre donos de imóveis interessados em alugar espaços por temporada e aqueles que busca de hospedagem, especialmente viajantes. De acordo o escritório da empresa no país, o Brasil tinha até janeiro um total de 89,7 mil anfitriões ativos, como são chamados os que recebem os hóspedes. A atividade econômica da plataforma no país em 2016 alcançou R$ 1,99 bilhão, englobando renda do anfitrião mais despesas dos hóspedes.

Para Fonseca Jr, o serviço oferecido por meio do aplicativo é uma “atividade ilegal” e, além disso, “tira impostos das empresas regulares que recolheriam para os cofres públicos, gerando desemprego e fechando hotéis”. Segundo ele, mais de 100 hotéis encerraram atividades no Brasil em 2017. O presidente da entidade defende que, em um momento em que o país precisa ampliar a arrecadação, “não se pode deixar que uma empresa multinacional atue no país de forma irregular, sem pagar a carga tributária”.

"Nós precisamos que as autoridades do governo federal tomem conhecimento disso, porque senão vai realmente prejudicar de forma irreversível o parque hoteleiro nacional”, defende.

Reserva de mercado

Para o Airbnb, a movimentação da ABIH Nacional e outras entidades do setor objetiva “garantir uma reserva de mercado, sufocar a inovação e a concorrência e ameaçar a atividade lícita e regulamentada do aluguel de temporada”. Em nota oficial, a gerente de Comunicação para a América Latina do Airbnb, Leila Suwwan, disse que a plataforma conecta viajantes de todo o mundo a pessoas interessadas em obter renda extra alugando um quarto ou imóvel inteiro por temporada.

“É uma atividade prevista e regulamentada pela Lei do Inquilinato e os locatários devem declarar e recolher os impostos de acordo com as regras do Imposto de Renda”, disse.

A gerente de comunicação afirmou que o crescimento do Airbnb no Brasil tem resultado em “uma série de benefícios econômicos, começando pela renda extra gerada para os anfitriões e democratizando as receitas ligadas ao turismo, beneficiando especialmente empreendedores e pequenos comerciantes no entorno dos imóveis alugados”.

Segundo Leila, o Airbnb mantém o compromisso público de dialogar com governos e legisladores e discutir novas regras, “desde que sejam em benefício da sociedade, da livre concorrência e inovação, e não em direção dos interesses corporativistas dos setores tradicionais de hospedagem.

Rio de Janeiro

O presidente da Associação de Hotéis do Estado do Rio de Janeiro (ABIH-RJ), Alfredo Lopes, salientou que a questão se torna complexa no estado, onde a rede hoteleira fez investimentos superiores a R$ 10 bilhões e dobrou a oferta de 30 mil para 60 mil quartos, com vistas à realização no país da Copa do Mundo de 2014 e da Olimpíada Rio 2016.

“A hotelaria investiu pesado para atender a uma demanda da ampliação da oferta de leitos, tem uma carga tributária altíssima e gera, somente no Rio de Janeiro, pelo menos 180 mil postos de trabalho, além da altíssima arrecadação de Imposto sobre Serviços (ISS) gerada para os cofres municipais”. Lopes lembrou que isso vale também para pousadas, albergues, apart-hotéis e outros meios de hospedagem “que trabalham na legalidade”.

Desde o fim das Olimpíadas, o setor registra uma ocupação média abaixo de 50%, com elevada ociosidade de leitos. Além da questão dos impostos, Lopes destacou que a plataforma estrangeira reúne imóveis que não recebem nenhuma fiscalização ou capacitação.

Já o Airbnb ressaltou em comunicado que foi o fornecedor oficial de acomodação alternativa durante os Jogos Olímpicos Rio 2016, quando registrou mais de 85 mil chegadas de hóspedes em três semanas, para viabilizar acomodação para visitantes “quando a capacidade hoteleira estava saturada”.

Convênio com o Sebrae

Na última quinta-feira (3), após reunião com representantes da ABIH Nacional, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) suspendeu convênio que seria firmado com o Airbnb. A diretoria executiva do Sebrae informou, por meio de nota, que a parceria está temporariamente suspensa para análise. O objetivo, segundo nota divulgada pelo órgão, é “estabelecer a melhor forma de integração entre o setor turístico tradicional e as inovações digitais”.

O convênio tinha por finalidade testar em alguns bairros no Rio de Janeiro e em Bonito (MS) um modelo de capacitação de 500 micro e pequenos empresários estabelecidos no entorno das acomodações cadastradas no Airbnb. Aos anfitrões, caberia divulgar aos turistas hospedados em suas casas a rede de micro empresas da região.

A plataforma no Brasil disse ter recebido com “consternação” a notícia de que o diretor-presidente do Sebrae, Afif Domingos, “se deixou ser pressionado por grandes empresários, prejudicando pequenos comerciantes e empreendedores”. A empresa cobra que a instituição esclareça oficialmente qual é a situação do convênio.

O Sebrae condenou ainda a campanha promovida pelo Airbnb nas redes sociais com o objetivo de questionar a decisão adotada pelo Sebrae. Segundo o órgão, a ação "não contribui para que as discussões sobre o assunto retomadas”. Uma petição organizada pelos anfitriões do aplictaivo está circulando na internet e já passa de 5 mil assinaturas em apoio ao Airbnb na disputa com o setor hoteleiro.

Fonte..:: Época Negócios



Incra e Receita Federal simplificam o cadastro de imóveis rurais


A Receita Federal e o Incra assinaram Instrução Normativa que simplifica os atos referentes aos imóveis rurais, uma vez que altera o meio para vinculação dos imóveis e dispensa a apresentação de solicitações de atos cadastrais para imóveis já vinculados.


A Instrução Normativa Conjunta RFB/INCRA nº 1.724, assinada em 31 de julho de 2017, que alterou a Instrução Normativa Conjunta RFB/Incra nº 1.581/2015, representa mais um passo no processo de simplificação, produtividade e desburocratização dos serviços relativos aos imóveis rurais.


Antes da edição da nova IN, a integração de dados cadastrais entre o Sistema Nacional de Imóvel Rural (SNCR) do Incra e o Cadastro de Imóveis Rurais (Cafir) da Receita Federal, numa única base de dados – o CNIR, era realizada mediante o processo de Vinculação realizado por meio da Declaração para Cadastro Rural (DCR) do SNCR.


Agora essa vinculação passará a ser realizada dentro do próprio CNIR, disponível no sítio do Cadastro Rural na Internet, não sendo mais necessária a entrega da DCR unicamente para esse fim.


Além disso, regra geral, o processo de vinculação dispensará a apresentação de solicitações de atos cadastrais perante o Cafir, pois a atualização dos dados do imóvel rural será feita de forma automática com base nas informações já prestadas por meio da Declaração para Cadastro Rural (DCR) do SNCR.


A Instrução Normativa RFB nº 1.725, assinada no mesmo dia, trata das exceções à regra acima e orienta os contribuintes sobre os novos procedimentos referentes ao Cadastro de Imóveis Rurais (Cafir) da Receita Federal, em virtude da nova sistemática de coleta simplificada de dados, para o adequado cumprimento das obrigações cadastrais perante o ITR.


O sistema online do CNIR, que permite a vinculação, está disponível a partir do dia 07 de agosto de 2017.




Fonte ..::  www.cadastrorural.gov.br


Prêmio Top Blog 2013/2014

Prêmio Top Blog 2013/2014
1º lugar "Oscar dos Blogs Brasileiros" na categoria Viagem e Turismo Profissional, pelo voto popular.

..:: Últimos Posts ::..

..:: O nós é feito de eus ::..

..:: Feito com Muito Carinho ::..

..:: Feito com Muito Carinho ::..