Turismo Consciente do Litoral de São Paulo = Blog Caiçara!.............Da Caiçara Expedições Agência de Viagens e Turismo...........Receptivo Baixada Santista - Litoral de São Paulo....Seja Bem Vindo!

..:: Pesquisa Blog Caiçara ::..

Carregando...

sexta-feira, 1 de julho de 2016

OS TURISMÓLOGOS - O que é?


TURIMÓLOGO
TURISMÓLOGO NÃO BEBE, DEGUSTA.
TURISMÓLOGO NÃO VIAJA, TESTA E FORMATA ROTEIROS.
TURISMÓLOGO NÃO DÁ FESTA PROMOVE EVENTOS.
TURISMÓLOGO NÃO SE HOSPEDA, FAZ CONSULTORIA NO HOTEL
TURISMÓLOGO NÃO FAZ PROPAGANDA TEM PLANO MARKETING.
TURISMÓLOGO NÃO TEM EMPRESA TEM EMPREENDIMENTO.
TURISMÓLOGO NÃO TEM GRUPO DE AMIZADE TEM TRADE.
TURISMÓLOGO NÃO FAZ PARCERIAS PARTICIPA DE CLUSTER.
TURISMÓLOGO NÃO PRESERVA O MEIO AMBIENTE PRATICA A SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL.
TURISMÓLOGO NÃO SEPARA O LIXO FAZ COLETA SELETIVA.
TURISMÓLOGO NÃO DELIMITA O NÚMERO DE PESSOAS FAZ PLANO DE MANEJO/CAPACIDADE DE CARGA.

..:: Sobre o curso

O curso de bacharel em turismo fornece ao aluno conteúdos que o capacita a planejar, organizar e promover viagens de negócios ou de lazer e eventos. As aulas práticas incluem visitas técnicas a empreendimentos de lazer, hotéis e destinos turísticos, produção de eventos acadêmicos e profissionais e atividades em laboratório.

Os turismólogos podem atuar em agências e operadoras de viagens, companhia aéreas, cruzeiros marítimos, empresas rodoviárias, empreendimentos de lazer e entretenimento, empresas organizadoras de eventos. Também podem ser consultores e desenvolver projetos turísticos para Secretarias municipais ou estaduais de turismo....

Isento de qualquer pré-requisito de formação acadêmica ou atuação profissional e de registro junto a qualquer órgão federal autárquico, pois é livre o exercício da profissão de turismólogo, em atenção à Lei 12591/12.


terça-feira, 28 de junho de 2016

segunda-feira, 27 de junho de 2016

Estrada Velha de Santos - Caminhos do Mar é com a Caiçara Expedições


Próxima saída programada: 28-08-16 (domingo)


Informações e reservas:

contato@caicaraexpedicoes.com
Tel: (13) 3466-6905





terça-feira, 21 de junho de 2016

Abertas as inscrições para o Evento: “SAÚDE E CIDADANIA NOS TERREIROS DA COSTA DA MATA ATLÂNTICA”

O INSTITUTO JOANA D´ARC realizará o Evento “Saúde e Cidadania nos terreiros da Costa da Mata Atlântica”, que acontecerá que acontecerá entre os dias 08 a 10 de Julho de 2016, no ILÊ AXÉ IJEXÁ OMOLU JAGUN, localizado na Rua Projetada 1, n.º 474 – Sítio São João – Bertioga – SP. O público-alvo deste seminário são babalorixás, yalorixás e demais adeptos das religiões de matrizes africanas que participaram do Projeto “Saúde e Cidadania em pauta nos espaços de matrizes africanas”, realizado pelo Instituto Joana d’Arc e demais lideranças não participantes do projeto e que tenham terreiros localizados em um dos nove municípios da Costa da Mata Atlântica. A inscrição também poderá ser feita por qualquer pessoa que tenha afinidade com a religião ou interesse nos assuntos que serão abordados. Basta preencher a Ficha de Inscrição até o dia 30 de Junho através do link abaixo ou pelo site institucional (www.joanadarc.org), em “Últimas Notícias” e/ou nas notícias deslizantes do site (“Destaques”). https://docs.google.com/forms/d/10_5d2mmMMQxYRNEvq3wuagjadptmOtpdWIn8FoILfp8/viewform
AS INSCRIÇÕES SERÃO RECEBIDAS PREFERENCIALMENTE ATRAVÉS DO LINK ACIMA. Os objetivos do evento são: 1)Instrumentalizar as lideranças religiosas dos terreiros, assim como seus adeptos em informações relacionadas a saúde, cidadania e direitos humanos; 2)Fortalecer e reconhecer os espaços de matrizes religiosas também como locais de promoção de saúde e bem estar social; 3)Promover a devolutiva das ações realizadas durante os dois anos de aplicação do projeto, que contou com diversas parcerias governamentais e não governamentais e o financiamento da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, através do Programa Estadual de DST/AIDS de São Paulo. O Evento contará com diversas atividades, como mesas de discussão, oficinas temáticas, conversas afiadas, ações culturais, lançamento de materiais informativos e audiovisuais, entre outras. Após este evento acontecerá a V CONFERENCIA LIVRE DE POVOS DE TERREIROS DE GUARUJÁ E BERTIOGA, realizado pelo ILÊ AXÉ IJEXÁ OMOLU JAGUN a partir das 13h30 min do dia 10.07.16. Todas as pessoas participantes do evento já estarão automaticamente inscritas. Maiores informações sobre o Evento ou dificuldade no preenchimento das inscrições, falar com RONALDO através dos telefones: (13) 3383.2166, das 09 h as 12 h. Ou ainda, pelo e-mail: eduardojoanadarc@ig.com.br, com EDUARDO. Este evento é uma realização do INSTITUTO JOANA D’ARC, com financiamento do Programa Estadual de DST/AIDS de São Paulo, através da Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo. Fonte: Luiz Eduardo dos Santos - Consultor Técnico do Instituto Joana D'Arc Contamos com a presença de todos! Fonte..:: Por email RONALDO DA COSTA - Instituto joana D'Arc - Guarujá-SP

quinta-feira, 16 de junho de 2016

UNESCO no Brasil e Centro Lucio Costa lançam versão em português de publicação sobre gestão do Patrimônio Mundial Natural

O manual oferece orientações sobre as especificidades da gestão de sítios do Patrimônio Mundial natural, com base no conceito central da Convenção do Patrimônio Mundial de 1972.

Referências, exemplos, práticas e recursos úteis aos gestores de sítios do Patrimônio Mundial, além de indicações da literatura e de documentação, compõem o conteúdo do livro “Gestão do Patrimônio Mundial Natural”, que acaba de ser traduzido para o português por meio de uma parceria entre a UNESCO no Brasil e o Centro Lucio Costa, um Centro de Categoria II da UNESCO e braço do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) responsável por contribuir para o desenvolvimento metodológico relativo à preservação, à salvaguarda e à gestão do patrimônio.
“As práticas de gestão de áreas protegidas e de sítios do Patrimônio Mundial vêm se aperfeiçoando rapidamente. As contínuas e intensas transformações que se observam no mundo atual colocam os gestores diante de novos desafios praticamente todos os dias, e as estratégias de conservação também precisam evoluir. Foi considerando essa renovação constante de problemas e soluções que se decidiu publicar este Manual de Referência”, diz o diretor do Centro do Patrimônio Mundial da UNESCO, Kishore Rao, no prefácio da publicação.
O foco da publicação está em orientações para bens naturais e mistos da Lista do Patrimônio Mundial, assim como para os da categoria de paisagem cultural, isto é, bens culturais que representam as obras combinadas da natureza e do ser humano. Esse é o quarto volume da série de Manuais de Referência para o Patrimônio da Humanidade, que tem o objetivo de auxiliar os gestores a compreender e a incorporar ao seu trabalho conceitos e processos de gestão de sítios do Patrimônio Mundial. 
Para a presidente do Iphan, Jurema Machado, essa “é uma contribuição do Brasil para facilitar o acesso de gestores e autoridades em países lusófonos envolvidos com o desafio de gerir o Patrimônio Mundial, em face das contínuas e intensas transformações do mundo atual. É, ainda, parte da estratégia de consolidação do Centro Lucio Costa como um centro de referência, voltado para o desenvolvimento de um conjunto de atividades de formação – pesquisa, capacitação e difusão – que promovam a qualificação de profissionais e o compartilhamento do conhecimento produzido entre os países de sua região de abrangência e com os parceiros da UNESCO”.
Sobre a série Manual de Referência do Patrimônio Mundial 
Desde a adoção da Convenção do Patrimônio Mundial, em 1972, a Lista do Patrimônio Mundial evolui continuamente e cresce em ritmo constante. Dessa forma, torna-se necessário orientar os Estados-partes sobre a implementação da Convenção. O desenvolvimento de uma série de manuais de referência para o Patrimônio Mundial vem para atender a essa necessidade.
Com a elaboração desses manuais, espera-se fornecer conhecimento e assistência para garantir que a Lista do Patrimônio Mundial tenha representatividade e credibilidade, e consista em bens adequadamente protegidos e geridos. Para isso, a série é dirigida a autoridades da área de proteção do patrimônio, governos locais, gestores de sítios e comunidades locais associadas a sítios do Patrimônio Mundial, além de outros interessados no processo de identificação e preservação. 
Os manuais são desenvolvidos como ferramentas para a capacitação e a conscientização acerca da Convenção do Patrimônio Mundial, podendo ser usados em um aprendizado autodidata e também como material para oficinas de treinamento. Os outros três títulos desta série podem ser baixados livremente no site da UNESCO: 
A publicação original da série é uma realização conjunta dos três órgãos consultivos da Convenção do Patrimônio Mundial – o Centro Internacional para o Estudo da Preservação e Restauração de Bens Culturais (ICCROM), o Conselho Internacional de Monumentos e Sítios (ICOMOS) e a União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN) – e do Centro do Patrimônio Mundial da UNESCO como secretaria da Convenção. Toda a série foi traduzida para o português por meio da parceria entre a UNESCO no Brasil e Centro Lucio Costa.

Fonte..:: UNESCO Brasil



terça-feira, 14 de junho de 2016

Esgoto de três municípios da Baixada Santista é objeto de estudo


O que não é coletado em Guarujá, São Vicente e Santos encheria 30 piscinas olímpicas


O esgoto não coletado nas áreas irregulares do Guarujá, São Vicente e Santos encheria 30 piscinas olímpicas por dia. A comparação é do Instituto Trata Brasil e Reinfra Consultoria, que realizou um estudo considerando as 100 maiores cidades brasileiras. Nos três municípios da Baixada Santista, existem 99 assentamentos irregulares, responsáveis pelo diagnóstico.

As instituições revelam que São Paulo, o mais rico estado do País, abriga a maior concentração de áreas irregulares do Brasil. Entre os 15 municípios paulistas pesquisados, as três cidades da região juntas possuem nas áreas irregulares 313 mil habitantes, sendo que essa quantidade representa 28,5% da população das três cidades (1,1 milhão de habitantes em 2015).

São milhares de pessoas, em sua maioria convivendo sem serviços essenciais de saneamento básico, principalmente com carência de abastecimento de água tratada e sem coleta e tratamento de esgotos. Essas áreas também convivem com doenças infecciosas, como diarreia e dengue, com poluição a céu aberto, acúmulo de lixo e riscos de desabamentos das moradias quando localizadas em encostas e topos de morros.

Um dos casos mais graves é em Guarujá onde o esgoto ainda é jogado em rios e córregos do município
Foto: Rodrigo Montaldi/DL

Guarujá

Um dos casos mais graves é o da cidade do Guarujá, diz o estudo. Na cidade, 49,4% da população (mais de 150 mil pessoas) reside em ocupações irregulares e favelas. Enquanto o serviço de água tratada alcança a maior parte desses moradores, seja de forma regular ou clandestina, uma parcela muito pequena da população dessas áreas (2,6%) tem acesso simultâneo ao abastecimento de água e à coleta de esgotos. Em todas as comunidades há ligações clandestinas de água.

“Sem acesso à rede de coleta de esgotos, a população despeja seus esgotos em fossas rudimentares, nos córregos ou mesmo a céu aberto causando problemas ambientais, como a contaminação dos rios, das praias e da água subterrânea, mas principalmente doenças que afetam os moradores, como as diarreias, verminoses, doenças de pele e mais recentemente as doenças do mosquito - dengue, febre chikungunya e zika vírus”, afirma Alceu Galvão, pesquisador do Instituto Trata Brasil.

São Vicente

Os pesquisadores revelam que em São Vicente quase um terço da população total estimada em 2015 (108.460 pessoas) mora nas 38 áreas irregulares detectadas no município. Quase todos os moradores recebem água de forma regular ou por meio de ligações clandestinas, mas somente 17,1% das pessoas têm acesso também à coleta de esgotos. Na maior parte dessas comunidades há lançamento de esgotos em córregos, nas praias ou na rede de drenagem.

Santos

Já na cidade de Santos, o estudo apontou que 11,9% da população (51.712 pessoas) vive em áreas irregulares distribuídas em sete assentamentos. Em todas as comunidades são encontradas ligações clandestinas de água e em cinco delas também ligações clandestinas à rede de esgoto.

Conforme a pesquisa, no geral, a falta de regularização fundiária impede que os prestadores de serviços de água e esgoto levem os serviços às áreas irregulares deixando a saúde da população exposta aos riscos trazidas pela água poluída. Dos mais de 33 milhões m³/ano de água consumida nessas áreas, 27 milhões são descartados como esgoto, sendo apenas 10,4% dele coletados.


Com relação ao cenário nacional da falta de saneamento básico nessas áreas, o estudo do Trata Brasil estimou a necessidade de se construir mais 3.068.827 de novas ligações de água e esgoto nas 89 cidades brasileiras analisadas. Somente nos três municípios da Baixada seriam necessárias mais 95.126 ligações para garantir água e esgotos para as mais de 313 mil pessoas residentes nas áreas irregulares.

Fonte..:: Diário do Litoral


Opinião Caiçara..:: As políticas públicas deveriam ser objeto de estudo!!!!!


segunda-feira, 13 de junho de 2016

5º Feira Cultural Turística e Gastronômica dos Bairros Cota





Palestra Renato Marchesini - Semana dos Museus 2016 - Museu dos Cafés


Fonte..:: Turismo Santos

Museu do Café promove atividades na 14ª Semana de Museus

Visitas ao Centro Histórico, Monte Serrat e bate-papos integram a programação da 14ª Semana de Museus, que tem início na segunda, 16 de maio. O evento, com o tema paisagens culturais, será realizado pelo Museu do Café (R. XV de Novembro, 95, Centro Histórico).

No primeiro dia, às 10h, está marcada a palestra 'Paisagem Cultural sob a Perspectiva do Turismo', ministrada por guias turísticos da região. Já no dia 17, no mesmo horário, é a vez da caminhada pelo Centro Histórico, com a temática Roteiro do Café.

O bate-papo com o ex-técnico do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), José Saia Neto, acontecerá no dia 18, às 10h. O especialista vai ao Monte Serrat com o público para apresentar os conceitos de paisagem cultural com base em exemplos encontrados em Santos, e a relação do café, porto e ferrovia. Ainda nessa linha, os pesquisadores do museu Bruno Bortoloto e Pietro Amorim conduzem outro bate-papo 'O patrimônio imaterial como elemento agregador ao conceito de Paisagem Cultural', no dia 19, às 10h, no museu.

Para fechar a programação, no dia 20, às 10h, o professor, turismólogo e guia de turismo, Renato Marchesini, falará sobre meio ambiente. Todas as atividades são gratuitas e as inscrições devem ser feitas pelo email inscricao@museudocafe.org.br.




Prêmio Top Blog 2013/2014

Prêmio Top Blog 2013/2014
1º lugar "Oscar dos Blogs Brasileiros" na categoria Viagem e Turismo Profissional, pelo voto popular.

..:: Últimos Posts ::..

..:: O nós é feito de eus ::..

..:: Feito com Muito Carinho ::..

..:: Feito com Muito Carinho ::..